A minha primeira vez

Written by , on 2019-01-09, genre gay

Meu nome é Pietro, a minha primeira vez aconteceu quando tinha 14 anos, estava no 6º ano.
Sou mais novo de 3 irmãos, e desde bem cedo comecei a ver as primeiras imagens porno em revistas que os meus irmãos escondiam em seus quartos.
Ás quartas-feiras de tarde não tinha aulas, e normalmente quando estava mau tempo ía para casa jogar no pc e costumava levar amigos. Estávamos sempre sozinhos pois minha mãe só chegava a casa pelas 18h00 e meu pai e irmãos mais tarde. Certo dia resolvi mostrar as revistas dos meus irmãos e logo ficou toda a gente excitada. Nesse dia não rolou nada.
Luís, era meu melhor amigo na altura, colegas desde a 1ª classe. Loiro, olhos azuis, jogador de futebol, todas as meninas ficavam loucas por ele.
Meu amigo era da aldeia e eu da cidade, por vezes ficava a dormir lá em casa caso houvesse algo para fazer bem cedo, tipos jogos ou eventos.
Numa dessas tardes, ficamos só os dois em minha casa, começamos por jogar mas logo ele pediu se podia ver as revistas. Claro que disse que sim, levantei-me e fui buscar todas.
Ele sentou-se no sofá a meu lado, tirou os calções e as cuecas e começou a bater uma.
Perguntei logo o que fazia, e ele disse que estava tudo bem, éramos amigos e eu não diria nada a ninguém.
Já que fazes, também faço - disse eu. Tirei os meus calções, sentei ao lado dele (na minha inocência da idade) e comecei a bater uma ao lado dele.
Logo de seguida pergunta-me, indicando uma imagem da revista de uma loira a mamar um preto, já imaginaste mamar um pau?
- Caro que não.
- Queres experimentar?
- Eu não, queres tu?
Nem respondeu, atirou-se logo ao meu pau e mamou todinho. Não era primeira vez que me mamavam pois tínhamos umas colegas bem putinhas que adoravam mamar nossos pau nos intervalos das aulas, mas aquela boca era bem melhor a mais quentinha. E ele passava a língua bem na pontinha, elas não. Chupou a cabecinha toda e depois meteu todo na boca.
Tirou a boca e beijou-me intensamente.
- Mamas-me agora?
Senti-me na obrigação do fazer e mamei todo, até começar a gostar mesmo do que fazia. Não demorou muito e ele já me mamava também. Colocou-se por cima de mim em 69 e mamei-o todo, chegou mesmo a foder-me a boca enquanto ele me mamava a mim. Comecei a levantar mais as minhas pernas deixando meu buraquinho exposto, rápido chegou ao meu cú e chupou todo também.
Estávamos bem loucos, me cú bem melado e o pau dele bem duro na minha boca entretanto pediu para me foder. Não sabia o que dizer, continuei a mamar. Nem sabia se queria deixar que ele metesse, entretanto ele coloca dois dedos no meu cú, estava tão melado que nem doeu nada, mas mesmo assim gemi, nem sabia de quê.
- Já tens dois dedos no cú, deixa-me por o pau. Depois metes em mim também. Nem hesitei.
Coloquei-me de frango como na revista e ele encostou no meu cú, beijamo-nos algum tempo assim, só encostados.
Depois levantou-se e meteu bem devagar, empurrando com alguma força, gemi de dor, senti algo duro no meu cú e ardia. Tirou e meteu algumas vezes até ficar soltinho. Depois fodeu-me todo sem parar, eu já gemia como uma putinha, estava a gostar imenso, dizia-me toma puta, até gozar dentro. Ficou com pau algum tempo sem tirar, começava a ficar mole. Nossa respiração estava ofegante, nem conseguíamos falar.
Recuperado o fulgor, tirou o pau já mole, e comecei a peidar, pelas minhas pernas começou a escorrer a esporra dele bem quentinha.
- Agora sou eu. Vira-te, quero-te foder também.
Encostei boca no cú dele e mamei e cuspi naquele cú rosadinho, mete diz ele. Já não é minha primeira vez. Meti e fiquei mais teso ainda. Enfiei bem devagar, senti todo o meu pau a rasgar aquele buraco. Tirei, lambi mais cuspi e voltei a meter. Meti todinho e comecei a cavalgar no meu amigo, estava demais.
- Com quem fodes? Com o Tiago disse-me.
- Com o Tiago, meu vizinho? Fiquei surpreendido, brincávamos desde pequenos e nem imaginava. Depois combinamos os três, disse-me, mas agora continua está bom demais.
Fodi aquele cú todinho, quando me estava quase a vir Luís pede-me para me vir na boca dele, tirei e vim-me todinho naquela boca, logo de seguida coloquei meu rabo na boca dele e ele lambeu toda a sua esporra que ainda por lá andava e beijei-o. Ficamos os dois cheios de esporra nas bocas e com os cús bem fodidos. Caímos para o lado e descansamos sem falar durante uma meia hora. Levantei-me e perguntei se queria ir tomar banho, fomos os dois para o duche e ainda nos chupamos e fodemos outra vez.
A partir daí fodemos muito e em todo o lado, os dois, os três, chupávamos nos balneários da escola, fodíamos em casa uns dos outros, fodíamos no rio no verão, tudo isto durante mais 6 anos, até cada um seguir suas vidas distintas na ida pra universidade. Talvez um dia nos encontremos novamente...

This story from has been read 3 9 5 times

Report abuse in this erotic story

Reader comments on the erotic story

cookies policy Para su mejor experiencia del sitio utiliza cookies. Al utilizar este website Usted consiente el uso de cookies de acuerdo con los términos de esta política.